10ª rodada: Campinas 3×0 UFJF – 13/12/13

VÔLEI UFJF FAZ BOA PARTIDA FORA DE CASA, MAS NÃO RESISTE AO BRASIL KIRIN

 

Ataque de Daivison da UFJF tenta passar pelo bloqueio triplo do Brasil Kirin no jogo pela Superliga

O Vôlei UFJF foi a Campinas para o jogo de encerramento do primeiro turno da Superliga, pensando na vitória para não se distanciar do G8, o grupo das oito equipes que avançam para os playoffs. Repetindo a escalação da última partida com Gelinski, Hugo, Reffatti, Dede, Victor Hugo e Jardel, a equipe jogou bem, dificultou o trabalho do Vôlei Brasil Kirin, mas acabou perdendo por 3 sets a 0 (parciais 24/22, 24/22 e 23/21).

Com o resultado, os juiz-foranos permanecem em 10º lugar com oito pontos. A equipe de Campinas manteve a invencibilidade dentro de casa e agora soma 21 pontos na quarta colocação.

O próximo compromisso da UFJF pela Superliga será  no próximo dia 28, contra o Sesi-SP, na Vila Leopoldina, na cidade de São Paulo. Antes, a equipe faz a semifinal do Campeonato Mineiro com o Sada/Cruzeiro, no dia 21, em Contagem.

O jogo

A partida começou equilibrada. Melhor no bloqueio e bem no saque, o Vôlei Brasil Kirin conseguiu vencer o primeiro tempo técnico por 7 a 5. A UFJF empatou com um ace de Reffatti (12 x 12) e virou após largadinha de Dede (13×12). Porém, a equipe de Campinas recuperou e venceu também a segunda parada técnica por 14 a 13. No retorno, a vantagem aumentou para três pontos (13×16), e o técnico Chiquita parou o jogo. Com De Paula sacando bem e Rivoli armando as jogadas, a UFJF igualou o placar novamente (17 x 17) e foi a vez do técnico Rivetti pedir tempo. Deu certo. Após quatro oportunidades para fechar o set, o Brasil Kirin venceu por 24 a 22.

O segundo set começou com rally. A UFJF abriu o placar depois de boa jogada de Dede e colocou três pontos de frente, obrigando o técnico Rivetti a pedir tempo. Os donos da casa melhoraram, empataram o placar (6×6), mas quem venceu a primeira parada técnica foi a equipe de Juiz de Fora (7 x 6). A partir daí, o set voltou mais equilibrado, porém a UFJF venceu também o segundo tempo técnico por 14 a 12. O Vôlei Brasil Kirin conseguiu recuperar, empatou (16×16), virou o placar (18×17), e o técnico Chiquita parou o jogo. Os juiz-foranos tomaram a frente e tiveram duas oportunidades de fechar o set, mas quem venceu foi o Brasil Kirin, novamente por 24 a 22.

No terceiro set, o equilíbrio permaneceu, e a equipe de Campinas venceu o primeiro tempo técnico por 7 a 5. Na volta, a vantagem aumentou para três pontos (7 x 10), e Chiquita parou o jogo. A UFJF melhorou, conseguiu empatar o placar (13 x 13), mas o Vôlei Brasil Kirin venceu também a segunda parada técnica por 14 a 13. As duas equipes se revezavam na liderança do placar até que os donos da casa abriram dois pontos (18 x 20) após dois erros da UFJF. A equipe de Juiz de Fora empatou novamente (20 x 20), mas o Vôlei Brasil Kirin fechou o terceiro set em 23 a 21 e venceu a partida.

O Vôlei UFJF é um projeto acadêmico da Universidade Federal de Juiz de Fora que abrange os três pilares: ensino, pesquisa e extensão.

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra