2013: Cristóvão queridão

Um técnico, quando é demitido de um clube, geralmente o faz deixando
desafetos, problemas, mágoas e às vezes até inimigos. Parece que a história
de Cristóvão Borges com o Vasco não foi assim. Pelo menos com os jogadores.
Antes do empate por 1 a 1 do time cruz-maltino com o Bahia, em Volta
Redonda, uma fila de atletas da equipe carioca foi formada para
cumprimentar o atual técnico do Bahia.
– É um reecontro com pessoas que fizeram parte da minha vida recente no
futebol e de momentos importates na minha vida – disse.