2014: No adeus de Túlio, Araxá e Montes Claros empatam para 36 pagantes

Com o Montes Claros já classificado e o Araxá sem chances no Módulo II do Mineiro, o confronto entre os times mistos das duas equipes teve outro foco. A partida válida pela última rodada do returno da primeira fase da competição foi também a última de um dos maiores artilheiros do futebol brasileiro. Vestindo a camisa 1.000 do Araxá, Túlio Maravilha deu os últimos passos dentro de campo. Aos 18 minutos do segundo tempo, o folclórico goleador, que fez história com a camisa do Botafogo, deixou o campo para ficar na história. Mas, desta vez, não bastou Túlio em campo. Apesar do jogo movimentado, as duas equipes ficaram no 0 a 0, no estádio Uberabão.

Outro ponto negativo foi o público no estádio. Com sua arena vetada para a partida, o Alvinegro teve que mandar o confronto em Uberaba. Nem mesmo o adeus do Maravilha atraiu os torcedores. Apenas 36 torcedores pagaram para ver o jogo, e o time do Araxá teve um prejuízo de R$ 9.900. Ao deixar o gramado, Túlio resumiu sua despedida e revelou os próximos desafios.

– Além do milésimo gol, juntamente com Pelé e Romário, deixo muitas conquistas, um legado para essa garotada que está começando, mostrando como ser um profissional dentro e fora de campo, principalmente a ter disciplina, superação, determinação e sonhar. Esse exemplo que eu deixo para todo mundo, não só na área do esporte, mas para pessoas em todos os segmentos que querem ser alguém de sucesso na sua profissão – disse o artilheiro.

Túlio posa com as chuteiras utilizadas em seu último jogo na carreira

Com o resultado, o Montes Claros chegou aos 22 pontos na liderança do grupo. O Alvinegro ficou com dez pontos, em quarto, e fora do hexagonal final.

TÚLIO BEM MARCADO EM DUELO PARTICULAR

Na chegada ao estádio, Túlio Maravilha afirmou que ainda corria atrás do “gol Rei Pelé”, que seria o tento de 1.001 nas contas dele. Mas o calor de Uberaba fez o jogo se concentrar no meio de campo. O atacante tinha um carrapato ao lado dele: o zagueiro Vinícius. Todo e qualquer passo do artilheiro era seguido pelo camisa 4 do Montes Claros. O Araxá tentava fazer as jogadas, principalmente pelo lado esquerdo.

No entanto, a primeira bola que chegou ao Maravilha foi aos seis minutos, após lançamento vindo de trás. Ele dominou bem, tirando para o lado, mas foi flagrado em impedimento. Fora isso, o atacante pedia bola, infiltrava na área, mas tinha poucas chances. Em uma delas, chegou a receber uma bola em profundidade, porém não alcançou, tentou tabelar e o zagueiro antecipou. Algumas vezes a bola até o procurava. Mas a zaga sempre cortava.

Apenas 36 torcedores acompanharam a partida

A primeira boa jogada do Araxá saiu aos dez minutos, com Mika, em chute defendido por Gabriel. O Montes Claros respondeu com Rômulo, que entrou na área, bateu e Jonatas salvou. Aos 17 minutos, Rômulo teria nova oportunidade após driblar o goleiro Neto, mas o arqueiro se recuperou e impediu o tento. Após a parada técnica, um duelo particular em campo: Rômulo, do Montes Claros, e Neto, do Araxá. Primeiro, cobrança de falta de Rômulo no canto e boa defesa de Neto. Depois, o  camisa 10 do time do norte mineiro finalizou em cima do goleiro que fechou bem o ângulo.

DO CAMPO PARA A HISTÓRIA

Na volta do intervalo, Túlio não demorou a ter uma oportunidade. Logo no primeiro minuto, após jogada pela esquerda, a bola procurou o artilheiro. No entanto, Vinícius cortou. O Araxá voltou melhor e Gabriel, aos três minutos, soltou um foguete que raspou a trave. Aos dez minutos, o “gol Rei Pelé” quase saiu. Jogada pela direita e cruzamento para o artilheiro. A bola passou nas costas dos atacante e foi para linha de lado.  Aos 18 minutos do segundo tempo, o árbitro apitou para a saída do camisa 1000. Eram os últimos passes do artilheiro em uma partida oficial.

O camisa 16 Wesley entrou no lugar de Túlio, que deixou o campo aplaudido pela torcida. Dentro das quatro linhas, o jogo continuava. O Araxá perdeu o faro do folclórico atacante, mas ganhou a velocidade de seu substituto, que criava as principais jogadas pela direita. O Montes Claros tentava no contra-ataque e criava boas oportunidades. Em uma delas, boa jogada de Índio que passou raspando a trave. O Araxá continuou bem na partida e criou as melhores oportunidades, mas não conseguiu ser efetivo, e a partida terminou 0 a 0.

Túlio Maravilha deixa o campo pela última vez em sua carreira