A Praga das Chuteiras

Na década de 60, a rivalidade entre Guarani e Ponte Preta de Campinas era gigantesca, tanto que uma transferência de um jogador de um time  para o outro era muito difícil. Porém, em 1965, o ponta direita Vado, que se revelou na Ponte Preta, estava pra se transferir para o arqui-inimigo da Macaca. No Guarani trabalhava o roupeiro Camisola (Luiz de Camargo) que era um apaixonado pelo Bugre e havia trabalhado a sua vida profissional inteira no clube. Camisola andava meio desconfiado de Vado e acabou lançando a praga das chuteiras no jogador. Nos primeiros três treinos do atacante no Bugre ele se sentia estranho, ora parecia que seu pé estava criando bolhas ora a chuteira quase saia voando. Após assistir os treinos atentamente, camisola resolveu tirar a praga de Valdo pois havia se convencido que ele não era um cabeça de bagre. Na verdade a ´´praga“ era bem simples, Camisola dava um pé de chuteira tamanho 43 e outro tamanho 39 sendo que o ponto calçava 40. Vado acabou sendo titular do Bugre durante os próximos 2 anos até abandonar o futebol com o joelho estourado e Camisola foi uns dos grandes amigos dele no Bugre.