BOCA JUNIORS CEM ANOS

Boca Juniors, o mais brasileiro dos clubes da Argentina, completa amanhã cem anos de vida. Desde 1931, qaundo o profissionalismo foi implantado no futebol do país, 24 dos nossos craques vestiram a camisa azul e amarela. Martim Silvera, centro-médico que fez fama no Botafogo, teve o privilégio de ser o pioneiro. Demerval Almeida Lima, o Baiano, ex-Palmeiras, o mais recente. É  o atual lateral-direito do time. Houve um ano notadamente, o de 1962, em que o Boca era autêntica colônia brasileira, transitando entre titulares e reservas os zagueiros. Édson dos Santos e Orlando Peçanha, o meia Walter da Silva, e os atacantes Maurinho, Almir Pernambuquinho e Paulinho Valentim. São dois os recordistas. Orlando Peçanha, ex-Vasco e campeão Mundial pela Seleção em 1958 na Suécia, fez 120 paridas entre 1960 e 1965, conquistando três campeonatos nacionais. Paulinho Valentim, antigo artilheiro do Botafogo, campão carioca em 1957,marcou 71 gols em 115 jogos, de 1960 a 1964. Pelo menos dois brasileiros tiveram passagem meteórica pelo Boca, ambos do Rio Grande do Sul: o centroavante Luis Carlos Toffoli, o Gaúcho, ex-Palmeiras e Flamengo, que atuou pelo clube em duas ocasiões, perdendo título argentino para o Newell`s Old Boys em 1991,além de outro atacante, Jean Edílio, que participou de apenas uma partida, em 2003. Já Iarley, ex-Paysandu,chegou a fazer sucesso, com seis gols em 36 partidas.

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra