Braga Júnior (ex-narrador esportivo de rádio)

Braga Júnior, o único locutor esportivo brasileiro vivo, dentre todos aqueles narradores que transmitiram a Copa do Mundo de 1958 da Suécia, pelo rádio. Continua morando em São Paulo e é um conceituado advogado. Braga Júnior, o “Braguinha”, mora na Zona Sul de São Paulo e já trabalhou nas rádios Jovem Pan (principalmente), Globo-Nacional e Excelsior e “não fica velho nunca”. Elegante como um lord e conservado como Pelé e Djalma Santos, Braga Júnior viajou o mundo por 30 anos, adora Fórmula 1, é advogado atuante e não abre mão dos seus fins de semana, hoje integralmente dedicados à família.

Braga Júnior o capixaba de Vitória José Alves Braga Júnior, nasceu no dia 14 de dezembro de 1932 e tem três filhos e quatro netos. Ele foi também narrador do “Scratch do Rádio” da Bandeirantes.

E no dia 15 de junho de 2008, dentro do programa “Domingo Esportivo com Milton Neves”, a Rádio Bandeirantes veiculou mais uma vez trecho do excelente programa “Fanáticos por Futebol”, da mesma Rádio Bandeirantes, produzido e apresentado pelo ótimo jornalista Marcelo Duarte.

Bibliografia

“Deixei Vitória aos 17 anos, em busca de uma escola de engenharia que pudesse me fazer à imagem do meu pai. Inútil. No Rio de Janeiro cursei a Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica, onde me formei em 1958. Nunca exerci, a rigor, a profissão de advogado. Mais tarde, em 1971, completei meus estudos, estendendo minha formação na área de administração de empresas.

Nasci, no entanto, radialista. Em Vitória, dei meus primeiros passos, na Rádio Espírito Santo, depois, em Resende (RJ), falei na Rádio Agulhas Negras. Contratado em 1952 pela Rádio Mayrink Veiga do Rio de Janeiro, então capital política do país, tornei-me profissional.

Em 1957, fui transferido para a Rádio Record de São Paulo. Depois, ao longo de 34 anos de carreira, ocupei os microfones da Rádio Bandeirantes, Rádio Jovem Pan, Rádio Excelsior, Rádio Globo e Rádio Gazeta, sempre em São Paulo. Atuei também na Televisão Record e na Televisão gazeta,

Transmiti os campeonatos mundiais de futebol de 58 e 66, alguns jogos da Copa da Uefa, muitos da Libertadores da América, dezenas de torneios internacionais de futebol, centenas de partidas, locais, nacionais ne internacionais, bem como os Jogos Olímpicos de Los Angeles e os Jogos Panamericanos da Venezuela e da Argentina, as lutas de Éder e diversas competições internacionais de diferentes modalidades, como os campeonatos mundiais de Fórmula 1.

Talvez seja o mais completo locutor esportivo do Brasil (não digo, o melhor), na medida em que relatei jogos de basquete, vôlei e tênis, tanto no Brasil como no exterior, transmiti competições hípicas, torneios de golfe, regatas e esportes náuticos à motor, sem falar do automobilismo, minha grande paixão, começando pelos torneios nacionais e sulamericanos, até culminar com a Fórmula 1, com mais de trinta GPs transmitidos.

Relatei o primeiro mundial de futebol ganho pelo Brasil (Suécia), o da Inglaterra (onde Portugal foi terceiro, com méritos), a vitória de Éder Jofre sobre Joe Bezerra, em Los Angeles(EUA – primeira vez que um pugilista brasileiro ganhou um título mundial), fiz a primeira transmissão comercial, via rádio (não via satélite), do Japão para o Brasil (Kukugikan Kuramae Stadium – Tóquio- por ocasião da luta de Éder Jofre e Katsuoshi Aoki, em 1963) transmiti o campeonato mundial de Nelson Piquet (em Kyalami, África do Sul), idealizei e fiz a primeira irradiação internacional em stereo via satélite de uma partida de tênis (Madson Square Garden/NYC 86 – John MC Enroe x Arthur Ashe), conheci mais de 100 países e realizei, em média, 10 coberturas internacionais por ano nesses 46 anos de carreira.

Tenho amigos, mas, sobretudo, tive o privilégio de conviver com Paulo Machado de Carvalho e Hermani Azevedo Silva, a quem rendo o tributo de minha homenagem.

Braga Júnior”http://desenvolv