Com Emerson Leão, Arena Palmeiras homenageia mais ídolos do passado

A Academia Allianz Parque de Imortais agora está completa. Depois de presentear Ademir da Guia, Cesar Maluco, Luis Pereira, Leivinha, Dudu e Oberdan Catani com cadeiras cativas vitalícias no novo estádio do Palmeiras, agora foi a vez de Emerson Leão, Edu, Valdir Joaquim de Moraes, Nei e Mazzola serem homenageados pela WTorre e ganharem um espaço no camarote dos craques do passado do Verdão.

Leão, Edu, Cesar e Nei, em visita à Arena do Palmeiras, o Allianz Parque

Diferentemente dos primeiros eleitos, que foram escolhidos por um comitê de historiadores palmeirenses, os últimos cinco ex-atletas venceram uma pesquisa na internet promovida pelo site oficial do estádio.

Segundo atleta que mais vezes vestiu a camisa do Verdão (com 617 jogos, atrás apenas de Ademir da Guia, que fez 901), Emerson Leão foi o líder da pesquisa, que teve um total de 50.285 mil votos.

– Eu torço para que isso se torne um início de uma realidade que eu sempre combati, que era a falta de cultura com o ídolo. Esse fato é o primeiro e espero que agora aconteça com outros clubes. Quem não tem passado pode ter certeza de que não terá futuro – afirmou o ex-goleiro, que agradeceu o carinho dos palmeirenses.

– É maravilhoso, mas não é só pela cadeira cativa, é pela maneira como ela aconteceu porque foi escolhido pelo torcedor. Isso acelera a minha alegria. Se fosse conduzido não estaria aqui – completou.

Leão, Edu, César e Nei, em visita ao Allianz Parque

Leão, Edu e Nei foram recepcionados por César, fizeram um tour pela obra e viram de perto a transformação da casa alviverde. Valdir, em Porto Alegre, e Mazzola, na Itália, não puderam comparecer ao evento nesta terça-feira. Os eleitos ocuparão as cadeiras de Djalma Santos, Heitor, Junqueira, Waldemar Fiúme e Julinho Botelho no camarote palmeirense.

– É como se tivesse conquistado mais um título, como aqueles muitos que nós conquistamos com a camisa do Palmeiras. Agradeço por ser uma homenagem em vida e poder aproveitar bastante esse presente – disse Nei, ponta-esquerda da Academia alviverde na década de 70.

– É uma emoção diferente, como se estivesse sendo contratado para jogar novamente. É uma satisfação estar com os amigos e ser lembrado – afirmou Edu, que atuou 472 vezes com a camisa palmeirense em dez anos de clube.

A homenagem feita pela WTorre foi restrita aos atletas que defenderam o Palmeiras até 1989. Para os demais jogadores, uma ação semelhante deve ser lançada pela construtora nos próximos meses.

Ex-jogadores fazem tour pela Arena Palmeiras