“Com reforço de Lula, “seleção” brasileira usa a emoção na cartada final por 2016

“Com reforço de Lula, “seleção” brasileira usa a emoção na cartada final por 2016

Presidente desafia membros do COI a expandirem as fronteiras dos Jogos para outro continente e acenderem a pira olímpica em um país tropical

Por Globoesporte.com

“Com o reforço do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o time brasileiro em Copenhague mostrou estar bem entrosado na última apresentação antes da eleição do Comitê Olímpico Internacional (COI), nesta sexta-feira. A candidatura carioca usou seu mais forte argumento – o de que os Jogos Olímpicos nunca foram para a América do Sul – e mostrou um pouco do que o Rio de Janeiro tem a oferecer. E se o presidente americano, Barack Obama, deu boas-vindas ao mundo no coração da América, os cariocas lembravam que os braços do Cristo Redentor, que sempre estiveram abertos, agora querem abraçar as Olimpíadas de 2016.

“O desafio é outro: expandir as Olimpíadas para outro continente, acender a pira olímpica em um país tropical, na mais linda cidade”, disse Lula.

Presidente de honra da Fifa, João Havelange foi o primeiro a falar e lembrou que uma vitória do Rio de Janeiro celebraria seu 100º aniversário. Havelange, assim como Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), é membro do COI e não tem direito a voto na primeira rodada.

Havelange passou a bola para Nuzman, que fez breves saudações em francês.

“O Brasil está mais ativo do que nunca no cenário global. O movimento olímpico tenta alcançar os jovens no mundo. Todos somos parte da mesma equipe que organizou os Jogos Pan-Americanos de 2007. Na era moderna, serão 30 Jogos na Europa, cinco na Ásia, dois Oceania. Queremos trazer os Jogos para a América do Sul, abrir as portas de um novo continente para carregar o movimento olímpico.”

Nuzman convidou os membros do COI a sentirem “um gostinho do que o Rio oferece”. Um vídeo, ao som de “Aquele Abraço”, entrou no telão e, nele, apareceram belas imagens de praias, futebol, samba, funk – mas não de favelas – e, claro, de conquistas brasileiras no esporte.

O governador, Sérgio Cabral, e o prefeito, Eduardo Paes, lembraram a integração das três esferas do governo e que a Copa do Mundo de 2014 vai ajudar na organização dos Jogos Olímpicos.

“A Copa do Mundo servirá de trampolim para os Jogos”, disse Paes.”