Comunicação e Marketing

A comunicação surge da necessidade do ser humano em transmitir informações
e necessidades. Com essas necessidades nasceu o comércio e sua busca
incessante pela comunicação em sua essência, que resulta na troca de
produtos, interesses e necessidades.

Gracioso (1971, p.26) define marketing da seguinte maneira: É o
planejamento e execução de todos os aspectos de um produto (ou serviço), em
função do consumidor, visando, sempre, maximizar o consumo e minimizar os
preços, tudo resultando em lucros contínuos e a longo prazo para a empresa.

Década de 1950 – o conceito mais moderno de marketing foi consolidado com
orientação para o mercado, com a percepção das necessidades.

Kotler (1995, p.3) caracteriza marketing como “um processo social e
gerencial através dos quais indivíduos e grupos obtém aquilo que desejam e
de que necessitam, criando e trocando produtos e valores uns com os
outros”.

É preciso, portanto, que as empresas estejam atentas para entender o
ambiente de marketing e suas forças externas que giram em torno da empresa.

Kotler (2010, p.4) divide o marketing em 1.0, 2.0 e 3.0. O primeiro é
centrado no produto, com pouca personalização, o objetivo era reduzir
custos de produção para que a mercadoria tivesse um baixo custo. O
Marketing 2.0 é consolidado na era da informação, consumidores exigentes,
grande variedade de produtos e preços, uma era orientada pelo cliente. O o
terceiro é a era dos valores: as empresas não tratam as pessoas apenas como
consumidores, é preciso que sejam tratados como seres humanos plenos, com
mente, coração e espírito.

Além de conquistar clientes, a empresa precisa também fidelizá-los. Kotler
afirma que somente empresas voltadas para os clientes são capazes de
construir clientes e não apenas produtos, são hábeis em engenharia de
mercados, e não apenas em engenharias de produtos.

Conquistar clientes e fazer uma gestão adequada dessa conquista é de
crucial importância para o sucesso da empresa. Para ser notado no mercado
de hoje, perante a competitividade, as empresas devem focar nos lucros, mas
sempre pensando também na conquista e fidelização dos clientes.

Kotler conceitua marketing interno como “uma bem sucedida tarefa de
contratar, treinar e motivas os funcionários hábeis que desejam atender bem
aos clientes

Torquato (2004) define como missão de comunicação interna a contribuição
para o desenvolvimento e a manutenção de um clima positivo, propiciando o
cumprimento de metas estratégicas da organização e o crescimento continuado
das atividades e serviços, além da possível expansão da linha de produtos.