Diego no alto do pódio

O ouro na Copa do Mundo em Xangai, a quarta medalha do ano, transforma o “irmão da Dani” em estrela da ginástica mundial
  O ambiente da ginástica olímpica e mesmo os torcedores leigos sempre consideraram Diego Hypólito, 20 anos, o ´´irmão da Dani“. Méritos de Daniele Hypólito, a Dani, dois anos mais velha, uma das estrelas atuais da modalidade ao lado de Daiane dos Santos. Mas, de uns tempos para cá, não seria nenhum absurdo possível inverter essa referência de identificação. No sábado 15, o ginasta – que no ano passado já se tornara o primeiro brasileiro campeão mundial no solo, em Melbourne, na Austrália – ganhou sua quarta medalha no mesmo exercício em 2006, a segunda de ouro, na etapa da Copa do Mundo em Xangai, na China. Os resultados recentes (leia abaixo) o transformaram em mais um´´pop star“ da ginástica no País, ao lado da própria irmã e de Daiane. Com mais um  ouro na Copa, disputada em várias etapas em países diferentes, e a conquista do último Campeonato Mundial, uma competição organizada em turno único, ele entra definitivamente para o hall da ginástica brasileira.
  As bases para o sucesso atual não foram construídas de uma hora para a outra. Foram dez anos treinando, em média, sete horas por dia até os dois primeiros resultados expressivos: os quartos lugares no solo nos mundiais de Debrecen, na Hungria, em 2002, e de Anaheim, nos Estados Unidos, no ano seguinte. Nascidos na capital paulista, Diego e Daniele viveram os primeiros anos da infância com simplicidade em Santo André, na região metropolitana de São Paulo. Aos oito anos, depois de uma proposta do Flamengo à irmã, que incluía um apartamento, mudou-se com a família para  o Rio de Janeiro, onde ainda mora com o pai, Wagner, e o irmão mais velho, Edson. A mãe, dona Geni, 48 anos, vive em Curitiba com Daniele, que treina para a seleção brasileira de ginástica olímpica.
  Coruja, dona Geni conta que Diego era uma criança agitada. Vivia sorrindo. Por isso, levava bronca pelo que era considerado excessivo pela mãe. Não imaginava que o filho ´´arteiro“ chegaria ao topo de uma competição mundial na categoria solo do atletismo. Logo ele, que nem se quer gostava de ginástica. ´´Tinha uns sete anos e ainda morávamos em Santo André. A Dani insistia para eu entrar na ginástica. Falou tanto que acabei indo. No início achei chato. Saí uma semana depois “, conta ele. Mas no dia seguinte estava de volta. Dois anos depois, já no Rio de Janeiro, como atleta do Flamengo, participou de seu primeiro torneio internacional, em Cuba. Aos 11 anos, treinava pelo menos duas horas por dia, como um profissional. ´´Foi aí que a ginástica ficou séria para mim. Entre as modalidades da ginástica, os técnicos diziam que eu tinha mais facilidade no solo e acabei me dedicando a ele. Mas nunca imaginei um dia virar ginasta “ confessa o campeão.
  Fã incondicional da irmã, vibra com as conquistas dela,como a prata no solo no Mundial de Ghent, na Bélgica, em 2001, a primeira do Brasil em torneio internacionais de ginástica. Este Ano, na hora de Diego subir ao pódio no Mundial, foi dela o primeiro abraço, ainda no ginásio. A meta agora é organizar uma forte preparação para o maior desafio : conquistar o lugar mais alto possível no pódio nas Olimpíadas de 2008. Antes disso, Diego pretende brilhar no Pan-Americano de 2007, no Rio de Janeiro.
  Não imagine que ter dois filhos entre os maiores ginastas do mundo significa muito dinheiro no bolso dos Hypólito.´´ Eles têm apenas um patrocinador fixo, a empresa Redecar. Outros só aparecem quando eles são campeões. Nos intervalos, a gente aperta aqui e ali“, revela dona Geni. ´´Atletismo não é futebol. E os patrocinadores são difíceis de atender ao apelo dos atletas“. Daniele ganhou ( e guardou) o suficiente para construir uma pequena casa em Curitiba. Comprou um carro, que deixou com o irmão, no Rio. Diego, que não recebe nada do Flamengo, usa parte do que ganha nas competições para ajudar parentes em dificuldades – o que não é pouco em sua família. Mais do que dinheiro, o que vem motivando os filho de dona Geni é a superação. Eis um bom exemplo para os jogadores da Seleção Brasileira de futebol.
OS FEITOS DO CAMPEÃO 
 
MEDALHAS EM 2006 :
 
Ouro no solo – Etapa da Copa do Mundo em Xangai ( China )
Ouro no solo – Etapa Copa do Mundo de Cottbus ( Alemanha )
Prata no solo – Etapa da Copa do Mundo de Lyon ( França )
Bronze no salto – Eta da Copa do Mundo de Lyon ( França )
 
 
MEDALHAS EM 2005
 
Ouro no solo – Campeão Mundial em Melbourne ( Austrália )
 
 
MEDALHAS EM 2004
 
Ouro no solo – Etapa final da Copa do Mundo em Birmingham ( Grã-Bretanha )
 
 
DIEGO MATIAS HYPÓLITO
 
Local e data de nascimento : São Paulo (SP), 19/06/1986
 
Clube atual : Flamengo (RJ)
Fonte: Revista Lance A+