Entrevista Pelé

Bate-pronto

Roberto Assaf, assaf@lancenet.com.br

Professor Oscar Miller miller@lancenet.com.br

 Pelé, o mensageiro da paz

Rei faz 65 anos e Revista A+ lembra a excursão em que o Santos parou a guerra na Nigéria

            Pelé completa amanhã 65 anos de idade. Assim, vale lembrar, como homenagem, uma das passagens mais significativas de sua riquíssima carreira, quando o Santos, o maior time de futebol de todos os tempos, promoveu duas tréguas numa sangrenta guerra civíl. Os jovens integraram a excursão que o Peixe fez pela África em 1969. O Santos ainda estava em Brazzaville, onde perdera para a seleção do Congo por 3 a 2, quando recebeu convite para um amistoso na Nigéria. O problema é que o país vivia conflito interno dos mais acirrados. Os aliados do coronel Yacwbo Gowon, no poder desde 1966, enfrentavam os partidários do seu colega de farda Odumegu Ojuco, que proclamara, no leste, a República de Biafra. Havia também uma epidemia de fome.Os cartolas do Santos rechaçaram a ideia, mas acabaram concordando, convencidos pelo ágil empresário Elias Zacour, que acenou com a cota de 25 mil dólares, garantindo que governo e oposição haviam aceitado celebrar uma trégua. A delegação deixou Brazzaville e desembarcou no dia 25 de janeiro de 1969 em Lagos, a capital da Nigéria, sob forte expectativa. O principal jornal local, o “Daily Times”, embora tenha criticado os preços dos ingressos, fixados em cerca de 10 dólares. “Muitos dos nossos cidadãos não ganham isso por uma semana de trabalho”, ressaltou o editorial.

Eufórico como o 3 a 2 sobre o Santos, em 23 de janeiro de 1969, o presidente da República Democrática do Congo, major Marien Ngouabe, decretou que naquela data passaria a ser eternamente comemorado o Dia Nacional do Futebol, feriado nacional em todo o país.

O Santos de Pelé fez duas excursões pela África: entre  28 de maio e 7 de junho de 1967 (5 triunfos em 5 jogos) e entre 17 de janeiro e 9 de fevereiro de 1969 (5 vitórias, 3 empates e uma derrota).

Empate na 1ª partida

Peixe cede empate de 2 a 2 no finalzinho

            No trajeto de sete quilômetros entre o aeroporto e o hotel, a delegação passou por três barreiras do Exército, cujo objetivo era de capturar soldados desertores. Mas a trégua estava sendo respeitada. Logo cessara os ataques aéreos e as sabotagens promovidas pelos rebeldes. Mais de 60 mil pessoas foram ao Estádio Nacional. A Nigéria abriu o placar, com Oshodi, logo aos 12 minutos. Mas ainda no primeiro tempo, Pelé tratou de satisfazer a todas as expectativas, marcando dois gols ao seu estilo. Vencido pelo cansaço, o Santos cedeu o empate aos 43minutos da etapa final, com Alli, e o povo saiu satisfeito com o espetáculo. Mobolaji Johnson, governador-geral de Lagos, chegou a descer até o gramado para cumprimentar Pelé.