Hino mais bonito do futebol brasileiro é um plágio de música americana

POUCA GENTE SABE, MAS O HINO DO AMÉRICA, CONSIDERADO POR MUITOS, E POR MIM, COMO O MAIS BONITO DO FUTEBOL BRASILEIRO, É UM INCONTESTE PLÁGIO DA MÚSICA ROW, ROW, ROW (REMA, REMA, REMA), DEDICADA AOS REMADORES NORTE-AMERICANOS E USADA TAMBÉM PELOS ATLETAS DA UNIVERSIDADE DE OXFORD, NA INGLATERRA, COMPOSTA POR JAMES MÔNACO E WILLIAM JEROME EM 1912.

UMA POLÊMICA MUITAS VEZES SEM FIM, O PLÁGIO É TRATADO NO SITE OFICIAL DO AMÉRICA COMO UMA INSPIRAÇÃO PARA LAMARTINE BABO, QUE ACEITOU O DESAFIO, EM 1949, DE CRIAR OS HINOS DE 11 TIMES CARIOCAS. ALÉM DO AMÉRICA, ELE EMPRESTOU SEU TALENTO AO BOTAFOGO, FLAMENGO, FLUMINENSE, VASCO, BANGU, SÃO CRISTÓVÃO, MADUREIRA, OLARIA, BONSUCESSO E CANTO DO RIO.

SEGUNDO COLUNA DE ARMANDO NOGUEIRA NA ‘REVISTA DO LANCE (A+)’ DE 30 DE ABRIL DE 2005, O GÊNIO LAMARTINE BABO DESCONVERSAVA SEMPRE QUE ERA QUESTIONADO SOBRE O PLÁGIO DO HINO.

“EU CONHECI LAMARTINE BABO. TRABALHAMOS JUNTOS EM PROGRAMAS DA TV RIO. ERA UMA DAS PESSOAS MAIS CONTENTES DO RIO DE JANEIRO NOS ANOS 50. TINHA UM FIAPO DE VOZ, MAS VIVIA CANTANDO. QUANDO ALGUÉM FALAVA COM ELE DE PLÁGIO DO HINO DO AMÉRICA, ELE RESPONDIA COM O SEMBLANTE MAIS DOCE DO MUNDO.

– EU SOU UM ROMÂNTICO…

E SAÍA, CANTAROLANDO:
– HEI DE TORCER, TORCER, TORCER / HEI DE TORCER ATÉ MORRER, MORRER, MORRER”…Segundo noticiado pelo website da revista VEJA, “o jornalista Sérgio Cabralcerta vez perguntou ao próprio Lamartine se ele tinha mesmo copiado o hino do América, o de que Cabral mais gostava, de uma canção famosa nos Estados Unidos. Lamartine, então, respondeu com graça: ‘Mas o nome do clube não é América?'”

Mais uma curiosidade: certa feita, quando o jornalista Armando Nogueira, fazia um tour por França, ao ouvir, em determinado momento,Row,Row,Row, ele não se conteve e bradou: “Ladrões! Roubaram o hino do América!” – como ela próprio confessa, em sua crônica e não é que o belo hino do América é considerado um plágio.

Ao retornar ao Brasil ao conversar com o legendário Sargentelli, sobrinho de Lamartine Babo, para a sua surpresa esse confirmou que o plagiador era o seu tio.

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra