Marinho Chagas passa mal em evento sobre a Copa e fica em estado grave

Considerado o melhor lateral-esquerdo na Copa do Mundo de 1974, Marinho Chagas está entre a vida e a morte, de acordo com o médico plantonista da Unidade de Pronto-Atendimento Oceania de João Pessoa, Charles Paulino, que atendeu o ex-jogador após ele passar mal na capital paraibana. Marinho estava na cidade para participar de um evento com colecionadores de álbuns de figurinhas da Copa do Mundo e conversava com uma pequena multidão quando começou a passar mal. Segundo testemunhas, ele começou a “vomitar sangue” e foi levado às pressas ao posto médico. No local, foi diagnosticado com “hemorragia digestiva alta”.

Na UPA, os médicos tiveram dificuldades de estabilizar o quadro clínico do jogador e não conseguiram estancar a hemorragia. Por isso, o ex-lateral foi transferido para o Hospital de Emergência e Trauma da Paraíba, mais bem equipado para este tipo de procedimento.

Ao ser questionado sobre a situação do paciente, Paulino foi enfático.

Marinho Chagas antes de passar mal, em evento com colecionadores de álbum de figurinhas da Copa

– Ele está morre, não morre. O quadro é grave – declarou, enquanto passava pelo corredor da Unidade, saindo da sala de Assistência Social e voltando à Área Vermelha, onde ficam os pacientes em estado crítico.

Depois, quando Marinho já tinha sido transferido, o médico explicou melhor o que aconteceu. O ex-jogador chegou em estado grave, com “considerável perda de sangue”. No Hospital de Trauma, ele será submetido a um exame de endoscopia, para que os médicos possam identificar o local específico do sangramento e, só assim, fazer uma cauterização que permita estancar o sangue. No local, ele também vai precisar passar por uma transfusão.

UPA que deu os primeiros atendimentos ao ex-jogador da Seleção

Organizador do evento que levou Marinho Chagas a João Pessoa, Adeílson Silva explicou que foi tudo muito rápido. Eles conversaram mais cedo e foram juntos para a banca de revistas localizado num shopping da cidade que promoveu o encontro. No local, Chagas estava bem humorado, dando entrevistas, tirando fotos e contando piadas. De repente, ficou pálido e pouco depois começou a vomitar sangue.

– Uma hora ele estava bem. Na outra, estava nesta situação. Era muito sangue. Só tivemos tempo de levá-lo ao hospital.

Marinho Chagas, ex-lateral da Seleção na Copa do Mundo de 1974, durante entrevistas ao longo da semana

Boleiro com problemas de alcoolismo

Marinho Chagas jogou a maior parte de sua carreira no Botafogo e participou da Copa do Mundo de 1974. Depois da aposentadoria, teve problemas com o consumo de álcool, o que deixou sua saúde muito debilitada.

No ano passado, ele passou dez dias internado na UTI de um hospital de Natal, entre a vida e a morte, justamente por causa de uma hemorragia digestiva. Na época, ele prometera parar de beber para estar vivo na Copa do Mundo do Brasil, que começa daqui a 12 dias.

Ao longo desta semana, contudo, estava bem. Nos dias que antecederam o evento, deu entrevistas, falou sobre Copa do Mundo e sobre o Botafogo, seu clube do coração.