Técnico da Suíça ataca Manaus: “Jogar na selva é quase uma irresponsabilidade”

Alemão Ottmar Hitzfeld crê que fator econômico foi determinante para que capital amazonense fosse escolhida como sede do Mundial

Instalação de cadeiras na Arena Amazônia, em Manaus.

Depois da polêmica do ano passado envolvendo o técnico da Inglaterra, Roy Hodgson, e a cidade de Manaus, foi a vez do treinador da Suíça, Ottmar Hitzfeld, criticar a sede amazonense da Copa do Mundo de 2014, nesta quarta-feira (08/01).

“Para mim, é quase uma irresponsabilidade que alguém tenha de jogar futebol num lugar assim, no meio da selva amazônica”, afirmou o treinador alemão em entrevista à rádio alemã SWR1. “O Brasil é um país muito grande e, se alguém tem que voar de Salvador a Brasília, e depois a Manaus, acaba por voar cinco horas.”

O técnico ainda acusou que “o determinante nessa decisão [escolha de Manaus como uma das 12 cidades-sede do torneio] foi o comércio.”

Essa não foi a primeira crítica à única cidade do norte do país que faz parte do mundial da Fifa. No fim do ano passado, o treinador Roy Hodgson, da Inglaterra, criou polêmica ao dizer que não queria jogar na Arena da Amazônia – justamente o local onde sua equipe foi sorteada para estrear na competição, contra a Itália. As declarações foram alvo de críticas do prefeito Arthur Virgílio Neto, que posteriormente minimizou o conflito.

Experiente, Hitzfeld teve passagens vitoriosas em dois dos maiores clubes da Alemanha – Borussia Dortmund e Bayern de Munique – e, desde 2008, é o comandante da seleção suíça. Na primeira fase da Copa do Mundo, sua equipe jogará contra Equador, França e Honduras, nas cidades de Brasília, Salvador e Manaus, respectivamente.