Torcida da Lusa protesta na Paulista e queima camisas da Seleção e do Flu

Mais de 200 pessoas se concentraram no vão do Masp e caminharam pela Avenida Paulista, em São Paulo, na tarde deste sábado, com faixas de protesto contra a CBF, o STJD e até a Fifa por conta do rebaixamento da Portuguesa no Campeonato Brasileiro, decidido em primeira instância pelo tribunal desportivo após a escalação irregular do meia Héverton, na última rodada da competição. O recurso será julgado na próxima sexta-feira, e até o Ministério Público de São Paulo decidiu abrir investigação.

Torcedores lembram o ‘Bom Senso FC’ e se sentam no asfalto para protestar na Av. Paulista

Corintianos, palmeirenses, santistas e são-paulinos se juntam a torcedores da Portuguesa na manifestação “contra o tapetão”. Até simpatizantes do Juventus e do Barueri se juntaram ao grupo.

O ‘Liberdade, Igualdade e Fraternidade’, lema da Revolução Francesa, foi ‘adaptado’ pela torcedora

O único momento de tensão foi quando torcedores mais exaltados ameaçaram queimar uma camisa da seleção brasileira e outra do Fluminense. Isso aconteceu ainda na concentração no vão do Masp. Mas logo esse foco de revolta foi dispersado pelos próprios organizadores do protesto, na base do diálogo, e a manifestação seguiu de forma pacífica pela Avenida Paulista. Os líderes do grupo lamentaram a atitude desses torcedores isolados e ressaltaram que a ideia da manifestação era chamar a atenção para o caso de forma pacífica. 

Neste domingo, a Portuguesa soltou nota oficial negando que camisas tenham sido queimadas:

– A Portuguesa preza pelo respeito à CBF e aos clubes co-irmãos e repudiaria, se fosse o caso, quaisquer ataques direcionados a quem quer que fosse – diz a nota.

Torcedor da Portuguesa ironiza Fluminense: ‘Tricampeão do tapetão’

Acompanhados de perto pela Polícia Militar, os manifestantes fecharam três faixas da Avenida Paulista, deixando só uma para os carros. O deputado estadual Fernando Capez, promotor de Justiça licenciado, fez parte da manifestação e ajudou a carregar uma faixa pedindo para a Fifa “combater a corrupção no futebol”.

Camisa da seleção brasileira com um adesivo sobre o escudo, como forma de protesto

O cantor português Roberto Leal e o maestro João Carlos Martins, torcedores mais ilustres da Lusa, também participaram.

Santista e são-paulino se juntam a torcedores da Lusa em protesto na Av. Paulista

– Todos os times de São Paulo gostam da Portuguesa. É o segundo time de todo mundo. É a Regina Duarte do futebol, a namoradinha – disse o maestro.

O maestro João Carlos Martins (à esq.), com o deputado Capez, em protesto da torcida da Lusa

Os gritos entoados pelos torcedores foram:

– Ão, ão, ão, diga não ao tapetão!

– Não é mole, não! Caiu no campo e quer subir no tapetão!

– Se o tapetão rolar, olê, olê, olá… a Copa vai parar!

Os torcedores lembraram ainda o movimento Bom Senso FC e, por alguns segundos, se sentaram no asfalto.

O cantor português Roberto Leal, no protesto da torcida da Lusa

Depois de chegarem à Rua da Consolação, os torcedores deram meia-volta e tomaram a Avenida Paulista no sentido contrário, o do bairro do Paraíso. Segundo eles, haverá outro protesto no sábado que vem, caso o rebaixamento seja confirmado no novo julgamento, sexta-feira, no pleno do STJD.

Deputado Fernando Capez, de chapéu verde, carrega cartaz pedindo que a Fifa ‘puna a corrupção’