Torcida toma Beira-Rio e homenageia Fernandão com “ruas de fogo”

Do silêncio à oração. E da reza às “ruas de fogo”. O espaço em frente ao Centro de Visitantes Gigante para Sempre, no Beira-Rio, que virou um tipo de memorial a Fernandão, neste sábado, presenciou a comoção colorada pela perda do eterno capitão.

Assim como tantas outras vezes, colorados levaram sinalizadores, fizeram barulho com bumbos e ergueram objetos com as cores do clube. Só que, desta vez, não era para apoiar o time, mas para chorar a perda.

Em meio ao silêncio, os estouros no céu davam o tom do que se aproximava. Centenas de colorados irromperam a Avenida Padre Cacique, em frente ao Beira-Rio, no início da noite, e se posicionaram no local que serve de memorial. Naquele momento, a rua pareceu uma arquibancada. E os fãs, que tanto gritaram o nome de Fernandão, principalmente antes dos jogos e cada gol, pareciam querer empurrar o ídolo para mais uma boa partida. Os cânticos, inclusive os que o ex-capitão puxava, foram entoados, bem como o hino colorado:

– Vamos, vamos Inter! – eternizado por F9 no retorno da delegação do Japão após a conquista do Mundial de Clubes em 2006.

As canções também ganham improvisações para mais homenagens ao ídolo, eternizando o camisa 9:

– Te amo, Inter! Para sempre o Fernandão irá viver!

Torcida do Inter faz “ruas de fogo” para se despedir de Fernandão

Um fusca todo estilizado entoava músicas do clube. Foi então que os colorados fizeram uma roda e deram as mãos. O gesto lembrou a última união dos jogadores organizada por Fernandão antes de adentrar o gramado de Yokohama, no Japão, para o confronto com Ronaldinho e seus companheiros (vitória colorada por 1 a 0).

A vigília que ocorre desde a manhã deste sábado cada vez mais ganha torcedores. Algumas palavras motivacionais foram ditas até todos rezarem o Pai Nosso. Em seguida, uma salva de palmas ao ídolo, cânticos entoados pela torcida, como o “Uh! Terror! Fernandão é matador”, que o recepcionava antes de cada jogo e após cada gol até o hino do clube.

Os colorados não arredam pé do local. Seguem colocando fotos, frases, cartas e deixando flores para o eterno capitão. Henrique Saraiva, por exemplo, é um dos torcedores que presta sua homenagem ao ídolo. Abalado, o funcionário público fala sobre o significado:

– O Fernandão ficará na memória de todos os colorados. Perdemos um grande ídolo. Ele representou a mudança de uma era. Ele mudou a vida de todos os colorados. Seus feitos nunca se apagarão. Levantei a taça com ele.

Ruas de fogo homenagens Fernandão ídolo do Inter Beira-Rio

O acidente
Fernando Lúcio da Costa voltava de sua casa em Aruanã, cidade no interior de Goiás, localizada a 315 km de distância da capital. Além de Fernandão, estavam no helicóptero e não sobreviveram mais quatro amigos: Edmilson de Souza Leme (vereador de Palmeiras de Goiás), Antônio de Pádua, Lindomar Mendes Vieira (funcionário da fazenda) e o piloto, identificado como Milton Ananias.

Segundo a Polícia Civil, a aeronave levantou voo da fazenda que pertencia a Fernandão por volta de 1h e caiu segundos depois sobre um banco de areia (uma pequena praia de água doce) às margens do rio Araguaia, capotando diversas vezes. O local do acidente fica a 15km do centro de Aruanã. O ex-jogador chegou a ser levado para o hospital da cidade, mas faleceu pouco depois.

 

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra