Valcke diz ter vivido “inferno” – Dirigente admite redução de exigências para o Brasil e problemas com interlocutores

A notícia traz a repercussão da coletiva cedida por Jérôme Valcke na Suíça, onde o secretário geral da FIFA que viveu um “inferno” na organização da Copa e que encontrou dificuldades de lidar com a mudança de comando do país (Lula para Dilma) e com os três níveis de Governo. Na matéria ainda traz uma “sugestão” de Valcke, onde o secretário afirma que a intenção de um país em sediar a Copa não deve ser um projeto de governo e sim uma “representação global do país”. Na matéria, ele ainda crítica a afirmando que “foram três anos onde o trabalho não foi necessariamente cumprido de uma parte ou de outra” e que foram reduzidas as exigências com estruturas temporárias, mas não com o prazo de entrega das arenas, segurança e estrutura dos estádios.

Até Churrasco pode entrar no Cardápio – Nutricionista revela que jogadores gostam mesmo do básico: “arroz, feijão e bifinho” A matéria traz um bate-papo com a nutricionista da seleção Brasileira, Sílvia Ferreira, onde ela afirma que pode até haver durante a Copa churrasco e cerveja, caso o treinador Luis Felipe Scolari libere. A matéria ainda traz que os jogadores não gostam de um cardápio “mirabolante”, e que isso facilita muito o trabalho da equipe de nutricionistas e cozinheiros da seleção. Sílvia afirma para o jornal que tem certeza que os jogadores não cometeram “deslizes” durante a Copa, e que um momento de descontração alimentar é normal.

Fonte: Quarta – feira – 07/05/2014 – Jornal O Globo Caderno de Esportes página 33