Cáceres virou caso de polícia

O Cáceres foi excluído do Campeonato Mato-Grossense deste ano porum motivo insólito. Dirigentes do clube fugiram de Primavera do Leste – onde o time perdeu para o Juventude por 4 x 1 no último dia 25 – sem pagar a conta do hotel, de uma pizzaria e até – comenta-se – dos serviços de duas prostitutas. Logo após a partida, os cartolas do Cáceres, liderados pelo diretor de futebol Otávio Augusto de Oliveira, foram embora. Os jogadores, que só viajariam no dia seguinte em ônibus fretado, foram retidos pela Polícia Rodoviária. Só foram liberados depois que o presidente Luís Francisco Alves (que não viajou com a equipe) pagou uma dívida de 1,6 mil reais. ´´O cunhado do presidente estava Primavera para receber parte da renda. Portanto, eu não poderia assumir o compromisso de pagar o hotel e a pizzaria“, diz o diretor de futebol Otávio Augusto, que se esquivou de comentar se os dirigentes contrataram ou não as prostitutas. Irritado, o presidente do Comitê Executivo do Campeonato Mato-Grossense, Altair Cavaglieri, baixou uma portaria excluindo o Cáceres da competição. Além do calote, contribuiu para a decisão o fato de vários jogadores do time estarem com a documentação irregular.