Clássicos Históricos: Peixe x Timão: clássico mais antigo de São Paulo completa 100 anos

As cores são as mesmas. O branco e o preto dão o tom da rivalidade. Tão
diferentes; tão iguais. Um é o time da técnica, dos meninos bons de bola,
do futebol insinuante. Do Rei. Outro é o da raça, do suor, da conquista
sofrida. Do povo. Santos x Corinthians, o clássico mais antigo do futebol
paulista, completa 100 anos neste sábado, 22 de junho de 2013. No vídeo ao
lado, a trajetória do clássico.

Uma história rica, com grandes craques, jogos inesquecíveis, tabus,
títulos, risos, lágrimas. Uma história que começou em uma tarde fria e
bastante chuvosa de domingo, no Palestra Itália, e cujos registros apontam
para uma vitória santista, por 6 a 3.

De fato, o Peixe, que disputava o Campeonato Paulista pela primeira vez,
pouco mais de um ano após ser fundado, venceu – foi o único triunfo do
Alvinegro Praiano naquele estadual. Extenuado pela rotina de viagens à
capital (naquela época, o percurso de 72 km entre Santos e São Paulo era
feito de trem e poderia durar até seis horas), o time sucumbiu. Ficou como
consolo a goleada sobre aquele que viria ser o maior rival.

O que pouca gente sabe é que houve um clássico anterior, disputado no
mesmo dia, horas antes do segundo confronto. Na época, era comum as equipes
mandarem dois quadros às partidas. Primeiro, jogava o que era chamado de
segundo time (hoje seriam os reservas, o time B). Naquele domingo, no duelo
dos segundos times, o Corinthians levou a melhor, vencendo por 2 a 0. Esse
confronto caiu no limbo da história, e o que é considerado mesmo é a
partida dos primeiros times.
O jornal Estado de São Paulo registrou as duas partidas da seguinte
maneira (texto respeitando a ortografia da época):
“Realisou-se hontem, no ground do Parque Antarctica, o 10º match de foot
ball do campeonato de 1913 da liga paulista. Mediram forças os teams do
Santos Foot Ball Club e os do Sport Club Corinthians Paulista. Apesar do
mau tempo e da chuva impertinente que cahiu durante todo o dia, as
archibancadas do Parque comportavam regular concorrencia. O jogo dos
segundos teams teve início á uma e meia da tarde e terminou com a victoria
do Corinthians, por 2 goals a zero. Logo depois, iniciava-se o jogo dos
primeiros teams. O team santista demonstrou desde logo sensível progresso,
denotando um training acurado (…). O Corinthians, apesar de jogar bem,
não se sentia bem no campo enxarcado e visivelmente cedeu terreno ao
adversário (…). A’s 4 horas mais ou menos terminava o jogo, com a
victoria do team santista por 6 a 3.”

A primeira vitória corintiana para valer viria quatro anos depois: 3 a 0,
no dia 28 de julho de 1917, na Vila Belmiro.

Robinho em ação contra o Corinthians, de Rogério: pedaladas e título

Os números do confronto são contraditórios. O Peixe considera 308 partidas
oficiais, com 124 vitórias corintianas, 87 empates e 97 triunfos santistas.
Já o Timão conta 311 jogos – dois empates e uma vitória a mais do Santos.

Um clássico recheado de provocações, com tabus para os dois lados. O clube
do Parque São Jorge passou 11 anos sem vencer o Peixe em jogos de
Campeonato Paulista (entre 1957 e 1968). Por outro lado, a equipe do Parque
São Jorge ficou invicta contra o rival entre 1976 e 1983.

No que se refere a personagens, grandes nomes fazem parte da história do
duelo. Pelé foi o grande terror dos corintianos. O Rei é o maior artilheiro
do clássico, com 50 gols. Ex-jogadores santistas como Coutinho, eterno
parceiro do Atleta do Século, costumam dizer que, contra o Corinthians, com
Pelé em campo, eram três pontos garantidos.

Ricardinho no jogo em que foi responsável por muitas lágrimas santistas

Por outro lado, craques corintianos também deram muita dor de cabeça aos
santistas. Como esquecer do lindo gol de Marcelinho Carioca, no dia 11 de
fevereiro de 1996, na Vila Belmiro, com direito a um chapéu desconcertante
em Ronaldo Marconato? Lance que rendeu ao Pé de Anjo uma placa entregue
pelo próprio Pelé.
Se o assunto for jogos inesquecíveis, o clássico também rende muita
conversa. Um exemplo: a semifinal do Paulistão 2001, quando Ricardinho, aos
48 minutos do segundo tempo, marcou o gol que tirou o Santos da decisão. O
duelo terminou 2 a 1; o empate era do Peixe. Outro: a decisão do
Brasileirão 2002. No embalo das pedaladas de Robinho, o Alvinegro Praiano
venceu por 3 a 2 e conquistou o título que deu fim a uma fila que durava 18
anos.

Nos últimos anos, os rivais se encontraram em várias decisões: finais dos
estaduais de 2009, 2011 e 2013, com dois títulos corintianos e um santista,
além das semifinais da Taça Libertadores de 2011 (com o Timão levando a
melhor).

E muitos estão por vir. Santos e Corinthians ainda farão muita gente
sorrir, chorar, vibrar, festejar: são 100 anos. Está só começando…

Pelé em ação contra o Corinthians: Rei foi carrasco corintiano