De “smoking” na “rave”: a polêmica Tiago Leifert – Ciclistas e a incessante busca da audiência na redução do esporte ao binômio Futebol-Entretenimento

De “smoking” na “rave”: a polêmica Tiago Leifert – Ciclistas e a
incessante busca da audiência na redução do esporte ao binômio
Futebol-Entretenimento1

Ary José ROCCO JUNIOR2
(Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo / Universidade
Nove de Julho)
Wagner Barge BELMONTE3
(Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação)

Resumo
A imprensa esportiva demonstra uma tendência cada vez maior de se aproximar do
entretenimento, deixando de lado suas funções informativa e educativa, ou de
formadora de opinião, que é um papel precípuo dos meios de comunicação. O discurso
da mídia esportiva se mostra condicionado apenas ao consumo do esporte e aos índices
de audiência. O objetivo deste artigo é analisar a repercussão da declaração do
apresentador do Globo Esporte (SP), Tiago Leifert, em 18 de janeiro de 2013. Após
matéria sobre o ciclista norte-americano Lance Armostrong, em que o atleta assumiu
publicamente a utilização de substâncias proibidas, o apresentador chamou a próxima
notícia, sobre futebol, com a frase: “agora vamos falar sobre esporte de verdade”. A
frase motivou protestos nas redes sociais. É nossa intenção demonstrar que aspectos
como notoriedade, interesse público e imprevisibilidade foram abandonados nessa
análise simplista. Esses elementos, fundamentais na definição de uma pauta, foram
deixados de lado para, no lugar deles, prevalecer a polêmica, o consumo e os juízos de
valores que passaram a nortear as pautas e os objetivos editoriais.

Palavras-chave
Jornalismo Esportivo, Comunicação e Esporte, Consumo Esportivo, Globo Esporte e
Tiago Leifert

Clique AQUI para ler a íntegra do artigo