Em clássico uruguaio, nove atletas são presos após briga em campo

A partida não valia muita coisa na teoria, já que era pela Copa Antel, espécie de torneio de verão do Uruguai. Porém, quando se trata de um clássico como Nacional e Peñarol, muitas vezes o clima não é muito amistoso. Desta vez, uma briga generalizada aconteceu no fim do jogo, após a vitória do Nacional por 1 a 0, no estádio Centenário, em Montevidéu, na noite desta segunda-feira. A confusão foi tanta que nove jogadores foram detidos pela polícia local e quatro deles foram expulsos pelo árbitro.

Santiago García, Leonardo Burián, Ignacio González, Darwin Torres e Diego Arismendi, do Nacional, e Fabián Estoyanoff, Carlos Nuñez, Jorge Rodríguez e Jonathan Sandoval, do Peñarol, são os atletas que estão presos.

Nesta quarta-feira, a imprensa uruguaia divulgou que o promotor de justiça Gustavo Zubía teria solicitado a manutenção da prisão dos atletas enquanto o processo estiver correndo na justiça, além de indicar que os jogadores que participaram da partida, mas seguem em liberdade, também sejam investigados. Zubía também teria encaminhado uma convocação aos presidentes dos clubes, Pedro Damiani, do Peñarol, e Eduardo Ache, do Nacional, para prestarem esclarecimentos sobre o ocorrido.

Caso sejam condenados, os participantes da briga poderão pegar penas de 3 a 24 anos de prisão, além de serem excluídos do futebol pela justiça uruguaia.

O tempo que todo esse processo pode levar é motivo de preocupação para o advogado do Nacional, Alejandro Balbi. A equipe tem um compromisso importante no dia 28, quando encara o Oriente Petrolero, da Bolívia, pela fase prévia da Taça Libertadores.

Jogadores de Nacional e Peñarol brigam após a partida

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra