Falha na execução de hinos repercute na imprensa da França e de Honduras

Jogadores de França e Honduras estavam perfilados no meio do campo do Beira-Rio, em Porto Alegre, para escutarem seus hinos antes da partida às 16h deste domingo (15), mas o estádio seguiu em silêncio. Por causa de um problema no sistema de som, nem a emblemática “Marselhesa” dos franceses, nem o “Tu Bandera Es Um Lampo del Cielo” dos orgulhosos hondurenhos soaram nos alto-falantes, causando indignação nas redes sociais e notas negativas em jornais dos dois países.

Franceses perfilam, mas hino da Marselhesa
não toca no Beira-Rio

Apesar de destacarem o hino francês cantado a capela das tribunas, os diários franceses Le Figaro, Le Monde e L’Équipe destacaram o incidente como algo “insólito”, causado por “problemas dos organizadores”. O Figaro chegou a destacar o ocorrido em uma manchete com direito a ponto de exclamação: “Os azuis privados da Marselhesa antes da partida!”.

Os hondurenhos pareciam mais indignados. O periódico La Prensa lembrou que atletas das duas equipes estavam “indignados” por não terem seus hinos tocados dentro do estádio. A publicação destacou ainda que tudo aconteceu dentro “de um estádio que poucos dias antes da partida ainda tinha pontos em obras”. Para os hondurenhos, a falha na execução dos hinos foi “um sintoma de descontrole que posteriormente não afetou os homens de Didier Deschamps, mas sim os de Luis Fernando Suárez”.

Ainda durante a partida, a Fifa divulgou nota lamentando o incidente. “A Fifa e o Comitê Organizador Local (COL) lamentam que o sistema de áudio para os hinos nacionais das seleções não tenha funcionado corretamente antes do jogo entre França e Honduras. Estamos avaliando a causa do ocorrido”, diz o texto.

A imprensa francesa também abriu espaço para falar sobre um feito histórico ocorrido também durante a partida no Beira-Rio. Pela primeira vez, a tecnologia 4D adotada pela Fifa na Copa do Mundo foi usada para a decisão e um lance. Espécie de tira-teima, as câmeras ajudaram a definir se o segundo gol francês, que partiu de Benzema, havia ou não cruzado a linha do gol. Após analisar as imagens, o árbitro validou o gol, o segundo francês na vitória por 3 a 0.