Fried, o que veio antes do Pelé

Melhor que ele só Pelé, mas há quem duvide. Artur Friendenreich, ou Fried, ou El Tigre, teve uma carreira de 26 anos, com 1.329 gols, marca que supera a de Pelé, com 1281. Há controvérsias ,claro: alguns diziam que Pelé conta 19 gols que fez pela seleção do Exército, outros que Fried contabiliza jogos de várzea. Mas a verdade é que Friendenreich jogou 2.329 vezes, o que lhe dá a média de 0,57 gol por jogo, enquanto Pelé, com 1.321 jogos, fica com marca de 0,96.
  Não importa: a comparação já diz tudo. Filho de um comerciante alemão com uma lavadeira negra – consta que a beleza dela era tanta que nocauteou o preconceito alemão – Fried nasceu em São Paulo, em uma casa de esquina  nas ruas Vitória e Triunfo, a 18 de julho de 1892. Começou no futebol ainda garoto, e diz o site Museu do Futebol que criou o drible curto, o chute de efeito e a finta de corpo. Se você se lembra de Pelé, pense em Fried, que a diferença não há de ser grande.Vamos apenas lembrar um dos seus maiores momentos: Brasil x Uruguai, decisão do campeonato Sul-Americano de 1919 no estádio do Fluminense. Em noventa minutos, zero a zero. O mesmo na primeira prorrogação, de 30 minutos. Mais uma prorrogação, mais 30, e nada. A regra era clara : tantas prorrogações quanto necessárias. Começava a terceira. Passamos a palavra a João Máximo, no Gigantes do Futebol Brasileiro :
  ´´Então, logo no terceiro minuto (ou centésimo quinquagésimo terceiro minuto), Neco recebeu de Amílicar, passou por Zibecchi, driblou Vanzino, deslocou-se para a direita,perseguido por Foglino, foi até a linha de fundo, perdeu ângulo e centrou assim mesmo,pelo alto. Heitor e Varela saltaram, o brasileiro subiu um pouco mais, cabeceou, forçando Saporiti a rebater de soco, e a bola acabou saindo da área uruguaiana. No entanto, nunca se soube de onde ou como surgido, ali estava Fried, no ligar certo, a curta distância da meia-lua, esperando apenas que a bola descesse, para então colhê-la no ar, de voleio, e mandá-la bem no canto, fora do alcance de Saporitti.(…) Todos, jogadores e torcedores, abriam os braços para um só abraço, as bocas para um só grito, o coração para uma só alegria“
  Ainda o site Museu do Futebol, transcrição de documento assinado pelos jogadores da seleção uruguaiana:
  ´´Nós, componentes da Seleção Uruguaia, conferimos ao senhor Artur Friendenreinch o título de El Tigre, por ter sido o mais perfeito center -forward do Campeonato Sul-Americano. 29 de maio de 1919