Fulham: O time que vive um conto de fadas

Assumido por um milionário, o pequeno Fulham, da Inglaterra, já está na Copa da Uefa

Dizem os sábios que no futebol tudo já foi inventado dentro de campo e não existem mais segredos táticos. Mas o segredo de uma equipe de sucesso pode estar fora dos campos. A história recente do Fulham prova isso. É um dos sete clubes da capital inglesa na Premiere League e que, neste ano, apenas dois anos após chegar à elite do futebol inglês pela primeira vez, já está metido em uma eliminatória da Copa da Uefa. O ano era de 1997 e o clube conseguia pela terceira vez em sua história, e com muitas dificuldades, voltar à First League, a segunda divisão inglesa. Nessa época, o milionário egípcio Mohamed Al Fayed, dono da famosa loja de de departamentos Harrod’s, em Londres, comprou a maioria das ações do clube e decidiu apostar no futebol. Já investiu quase US$110 milhões.

-Em cinco anos vamos estar na Premier League – prometia Al Fayed, pai de Dodo, que morreu com a princesa Diana, sua namorada, num acidente de carro em Paris.

Al Fayed já investiu no time US$ 110 milhões, deu estrutura e atraiu novos sócios e torcedores

E nem precisou tanto. Em quatro anos o sonho do time fundado em 1879 se tornava realidade. Fayed apostou em um trabalho técnico a longo prazo, com o ex- jogador Kevin Keegan (que deixaria o clube para assumir a seleção inglesa).

Comprou terrenos para o time, deu estrutura aos jogadores para treinar, investiu em marketing. Chegaram novos sócios e torcedores.

Al Fayed não fez nenhum milagre, a não ser apostar em um modelo de gestão de um clube nos moldes dos vizinhos Chelsea, Arsenal ou de outras cidades, como o Manchester ou o Liverpool. E se o pulo do gato deste negócio era seguir a linha vencedora da escola francesa de Gerard Houllier (Liverpool)

e Arsenal (Arsene Wenger), o caminho foi trazer Jean Tigana. Pois deu tudo certo. O time hoje está na Copa da Uefa e o estádio de Craven Cottage se prepara para sonhar cada vez mais alto. Ainda não é um Fulham que irá assustar os grandes na luta pelo título. Mas já é um clube onde os titulares de diversas seleções estão em campo a cada domingo, como o holandês Van der Saar e o japonês Inamoto. Sem nenhum complexo de inferioridade.

NOME: FULHAM FOOTBALLCLUB

ESTÁDIO: CRAVEN VOTTAGE

FUNDAÇÃO: 1879

TÉCNICO: JEAN TIGANA (DESDE JULHO DE 2000)

TÍTULO: CAMPEÃO DASEGUNDA DIVISÃO DO CAMPEONATO INGLÊS. EM 8 DE MAIO DE 1999, EM CIMA DO PRESTON

REGRAS, JUSTIÇA E UM REI

Quando o Fulham disputava seus primeiros jogos, contra clubes também amadores de Londres, as regras do futebol ainda não estavam definidas. Os clubes tinham que aceitar ou tentar um acordo sobre as regras, quando jogavam fora de casa.

Fundado em 1879, o time conseguiu ter o primeiro campo fechado (com arquibancadas) em 1891. Após cinco anos, se mudou para outro terreno, ao lado do rio Tâmisa, onde atualmente briga na Justiça para construir um evento moderno.

O atual técnico do Manchester City, Kevin Keegan, pode voltar ao Craven Cottage, estádio do Fulham quando bem quiser. Conhecido como King Key (Rei Kev), o treinador conseguiu levar o time de volta à Premier League.

De olho nos asiáticos

O tino de Al Fayed para os negócios vai muito além da Inglaterra e das famosas promoções anuais da Harrod’s no centro de Londres. A nova aposta do clube está no mercado japonês, que cada vez mais consome produtos de futebol. E se o Arsenal abriu mão do jovem Inamoto, o Fulham quis sim. Pagou cerca de US$ 4,5 milhões ao Gamba Osaka pelo empréstimo do jogador. Com isso, Al Fayed já levou o nome do Fulham ao Oriente e garante a cada semana de excursões de turistas para ver o time em ação. Sem falar nos jornalistas

japoneses, que não perdem detalhe de nenhum treino do jovem Inamoto, um dos nomes fixos de Zico para as futuras convocações da seleção japonesa.

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra