Futebol e Cinema: O dia em que Anapolina brilhou

Hoje parece piada. Mas aquele ano de 1980, o gol de um jogador obscuro se transformou num dos maiores pesadelos para a torcida do Flamengo. Conhecido como “o gol do Anapolina”, ele acabou com o sonho de um título inédito: o de tetracampeão estadual.

Contando com craques como Zico, Andrade, Júnior e Leandro, toda a torcida rubro-negra só esperava comemorar o resultado. Apenas um empate contra o inexpressivo time do Serrano de Petrópolis? Tá no papo.

Mas que nada. Eis que numa jogada casual, uma bola chutada pela direita é desviada por Júnior, matando toda a defesa, e vai parar na cabeça do atacante Anapolina, que mete para as redes de Raul.

A partir dali, tome chutões e o Serrano garante o resultado em casa, considerado o maior feito na história do futebol petropolitano. Todo esse episódio é relembrado em “1 x 0 – A História de um Gol”, do jornalista Eduardo Monsanto, filme de apenas 25 minutos, realizado de forma experimental.

Eduardo Monsanto, que pretende exibir o filme em algum centro cultural do Rio, foi atrás de Anapolina. Hoje, aos 48 anos, ele é caminhoneiro e vive na cidade mineira de Matias Barbosa.

Um carrasco com sangue rubro-negro

 “Ele é rubro-negro e não esperava que o gol decidisse a partida. Depois daquele jogo, várias histórias começaram a surgir em Petrópolis. Seu pai o teria expulsado de casa, o sogro teria sido demitido do emprego. Mas tudo é lenda”, conta o jornalista.

 No início do campeonato, Anapolina era o segundo reserva do Serrano. O titular, que havia se destacado no primeiro turno foi contratado pelo Murcia, do Espanha. O primeiro reserva não estava jogando bem. Sobrava ele. Um jogador que topava qualquer parada. Já tinha atuado como cabeça-de-área, ponta-de-lança, centroavante, tudo. Mas era limitadíssimo.

Até o confronto histórico contra o Flamengo, Elimar Cerqueira (seu nome de verdade) só havia feito dois gols em 34 jogos pelo Serrano. Depois do feito, jogou apenas mais uma partida, contra o Americano. Pendurou as chuteiras aos 27 anos. No auge da carreira.

Filme: “1 x 0 -A História de um Gol”

Diretor: Eduardo Monsanto

Roteirista: Eduardo Monsanto

Duração: 25 min

Depoimentos: Anapolina, torcedores e jornalistas esportivos de Petrópolis

Orçamento: R$ 3 mil

Estágio: pronto

Estreia: sem previsão

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra