Lula: “É um dia sagrado. Se eu morresse agora já teria valido a pena viver”

Emocionado, presidente diz que o COI entendeu que era a hora do Brasil

GLOBOESPORTE.COM – Copenhague

Em meio às lágrimas dos integrantes da comitiva brasileira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva também não escondeu a emoção e o orgulho pela conquista em Copenhague. O 2 outubro ficou marcado para ele como “um dia sagrado”.

 – Se eu morresse agora, já teria valido a pena viver. Conquistamos a cidadania absoluta. Parabéns à alma e paixão do povo brasileiro. Não estarei mais na Presidência, mas estarei como cidadão brasileiro, colocando minha alma e meu coração – admitiu Lula, em entrevista à TV Globo.

Para o presidente, a escolha fez o Brasil sair do patamar de um país de segunda classe para um de primeira. Preferiu não levar adiante os comentários dos jornalistas de que ele teria ganho de Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, no discurso de apresentação. 

 – Dizem que o Brasil é de Terceiro Mundo. Muitos falam isso. Precisamos melhorar a saúde, educação…Sim, teremos muito trabalho pela frente. Mas somos um país imenso e receber as Olimpíadas só vai ajudar. Respeito é bom e hoje o recebemos. Eu não ganhei de Obama. O Rio ganhou de Madri, Tóquio e de Chicago.

 A escolha feita pelos membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) é, para o presidente, uma retribuição ao povo do Rio de Janeiro. E que prevaleceu a razão.

– O Rio é uma cidade que perdeu muitas coisas ao longo da história. Foi capital, foi coroa portuguesa, e aparece nas páginas dos jornais em notícias ruins. É uma retribuição a um povo maravilhoso, a um povo bom, que é o carioca. Essa vitória não é individual. É de 190 milhões de almas, de toda a América do Sul. O olhar do nosso povo, o gingado, a cor do nosso povo é imbatível. Finalmente o mundo reconheceu que é a hora do Brasil – comemorou Lula, parabenizando o trabalho realizado por todos os envolvidos na candidatura.