Pacotão do Flu: apagão na defesa, vaias a Fabrício e pixotada de Cavalieri

Se no intervalo do jogo entre Fluminense e América-RN na noite de quarta-feira tudo parecia tranquilo para os mandantes no Maracanã, os 45 minutos finais da partida, válida pela terceira fase da Copa do Brasil, trouxeram muita dor de cabeça aos tricolores. Com uma sucessão de desastres no sistema defensivo, a equipe de Cristóvão Borges sofreu uma sonora goleada por 5 a 2 e foi eliminada do torneio. E poderia ter sido mais, já que um dos destaques do Pacotão é o apagão aéreo sofrido pela zaga, que viu Max e Alfredo subirem sozinhos e cabecearem para fora em duas ocasiões.

Com Fabrício perseguido pelas vaias da torcida, Diego Cavalieri falhando em noite em que usou camisa tricolor, e Walter afobado nas jogadas de ataque, o saldo ainda foi de um susto de Fred. O camisa 9 completou uma marca histórica com a camisa do clube, mas teve que deixar a equipe após sofrer uma pancada na perna.

PODERIA TER SIDO MAIS

As jogadas aéreas foram um tormento para a defesa carioca, que ainda deu sorte em algumas oportunidades. Em cobranças de escanteio, aos 15 e aos 33 minutos da etapa final, Max e Alfredo, respectivamente, subiram completamente livres e tiveram chances de testar para o fundo do gol. Erraram, por pouco, e jogaram ao lado. E o desperdício de chances não parou por aí. Aos 32, Elivélton teve de se esforçar para tirar bola praticamente em cima da linha.

PIXOTADA DE CAVALIERI

Quando a classificação dos potiguares parecia bem improvável, o atacante Alfredo recebeu um lançamento de longa distância. Diego Cavalieri, atento, saía do gol para dar uma de líbero e afastar o perigo. Mas nada correu como planejado para o goleiro. Aos 30 minutos do segundo tempo, o camisa 12 não achou nada e viu o adversário empurrar para a rede e sair para comemorar.

VAIAS PARA FABRÍCIO

O quinto gol do América-RN ainda nem havia acontecido, mas a insatisfação vinda das arquibancadas já podia ser notada. E o zagueiro foi o principal alvo. Dono de sete passes errados em todo o jogo – recorde entre os que estiveram em campo – Fabrício passou a ser hostilizado a cada vez que pegava na bola. Nos dez minutos finais, inclusive, as vaias direcionadas ficaram escancaradas.

WALTER AFOBADO

Que a bola pouco chegou até o camisa 18 é verdade, mas quando teve chance o atacante afobou-se nas divididas de bola. Em jogadas dentro da grande área aos 29 e aos 35 minutos do segundo tempo, cometeu duas faltas e mostrou-se claramente irritado. Na primeira delas, conseguiu finalizar de cabeça e fazer o gol, que acabou anulado por causa da irregularidade no lance.

SUSTO DE FRED

Durante a participação de Fred na partida, tudo corria bem para o Fluminense no Maracanã. Em seu 200º jogo, o camisa 9 marcou o gol de número 123 com a camisa tricolor, mas deu um susto. Aos 39 minutos da primeira etapa, dividiu bola perto do círculo central e caiu sentindo dores no joelho esquerdo. Ele, no entanto, seguiu em campo até o apito do árbitro. Foi sacado para dar lugar a Walter no intervalo, mas apenas por precaução.