Para a história: Neymar estreia na Liga no 300º jogo como profissional

Em seu jogo de número 300 como profissional, Neymar sentirá o gostinho de estrear na competição mais importante entre clubes do futebol mundial. É que o camisa 11 do Barcelona vai a campo nesta quarta-feira em sua primeira partida de Liga dos Campeões com a possibilidade de entrar para uma seleta lista de jogadores que conquistaram tanto a Champions quanto a Libertadores. Para isso, é bom o brasileiro debutar com o pé direito logo mais no Camp Nou, contra o Ajax, em duelo pelo Grupo H. No mesmo horário, o Milan, desfalcado de Kaká, recebe o escocês Celtic pelo outro jogo da chave.

Neymar vai estrear na Champions justamente em seu jogo de número 300

Por enquanto, jogadores como Dida, Cafu, Roque Júnior, Ronaldinho, Sorín, Tevez e Samuel compõe o seleto grupo de jogadores que venceram as duas competições continentais. Neymar foi ao topo da América do Sul com o Santos em 2011, antes de cair justamente diante do Barcelona de Messi no Mundial de Clubes, em dezembro daquele ano.

Antes dele, outros craques brasileiros já defenderam o Barça na competição mais importante entre clubes da Europa. Foi assim com Romário, Rivaldo e Ronaldinho, sendo que apenas o último deles levou o troféu para casa, em 2006 – na segunda conquista do clube (a primeira fora em 1992). Já Ronaldo sequer disputou a “orelhuda” pelo clube.

– Minha primeira memória sobre a Champions foi quando o Barcelona tinha o Ronaldinho Gaúcho naquele título de 2006. Havia muitos brasileiros no time e jogadores que hoje tenho a honra de poder jogar junto como o Puyol, Xavi e Valdés – afirmou o ex-jogador do Santos, através de sua assessoria de imprensa.

Neymar diz que começou a acompanhar a Champions com o Barça de Ronaldinho e Messi

Outros brasileiros na Champions

Em seu primeiro ano no Barcelona, em 1993/94, Romário, por exemplo, foi decisivo no Espanhol, mas não na Liga dos Campeões. Apesar de estrear com a camisa blaugrana na competição com uma vitória diante do Dínamo de Kiev, o Baixinho não marcou, e o Barcelona despediu-se com uma goleada sofrida na final contra o Milan de Capello, em Atenas.

Apesar de encantar o Camp Nou entre 1996 e 1997, Ronaldo não teve chance de disputar a Champions pela equipe. Os tempos eram outros, e a presença culé na competição não era regular. Na temporada seguinte, o Fenômeno foi para o Inter de Milão e abriu espaço no Barcelona para Rivaldo, que não teve sorte na Champions. Em 1997, o pernambucano debutou com uma derrota por 3 a 2 para o Newcastle sem gols e nunca levantou o troféu.

Em contrapartida, Ronaldinho Gaúcho viria a ser o responsável pela segunda conquista de Liga dos Campeões, em 2006. Entretanto, no ano de estreia, o meia teve de se contentar com a participação na Copa da Uefa (antiga Liga Europa). Só em 2004 Ronaldinho disputou a maior competição europeia pelo Barça e começou bem com uma vitória frente ao Celtic. Nessa temporada, o clube culé foi eliminado pelo Chelsea de Mourinho nas oitavas de final.

Duelo também ‘estreia’ na Champions

Além de iniciar sua trajetória na Champions diante de sua torcida, Neymar tem o privilégio de disputar um jogo inédito na competição. Ajax e Barcelona, dois clubes que transformaram o futebol mundial, nunca se enfrentaram em competições oficiais.

Nomes, títulos e filosofias de jogo ligam a história do Ajax ao Barcelona. O clube holandês marcou época na década de 70 ao vencer três Copa dos Campeões (antiga Champions) consecutivas com Johan Cruyff em campo. O Barcelona teve suas origens precisamente na era em que Cruyff conduziu os catalães ao título da Champions graças ao gol do holandês ex-Ajax Ronald Koeman na final.

Holandeses como Cruyff ligam a história de Barcelona e Ajax

Frank Rijkaard, outro holandês, foi o treinador do título de 2006. Ele precedeu Josep Guardiola, que revolucionou o futebol do Barcelona, conquistando duas Liga dos Campeões em 2009 e 2011. Esse, ainda que catalão, sempre se definiu como fiel seguidor e admirador do futebol de Cruyff, seu ex-treinador.

– São dois clubes com a mesma filosofia, que começou em Johan Cruyff. Uma filosofia de futebol atacante de domínio, posse de bola e com jogadores muito ágeis tecnicamente –  descreveu Frank de Boer, treinador do Ajax, vencedor da última Liga dos Campeões pelo clube em 96 e ex-jogador do Barcelona.

Reencontro e atração alemã

Özil é a atração do Arsenal nesta quarta-feira

Pelo Grupo E, Chelsea e Basel se reencontram após a semifinal da última edição da Liga Europa, na qual o time londrino venceu nas duas partidas (2 a 1 na Suíça e 3 a 1 na Inglaterra). Com o português José Mourinho de volta ao comando, os Blues tentam não repetir o vexame da temporada passada, quando foram eliminados na fase de grupos enquanto defendiam o título conquistado na edição anterior.  Schalke 04 e Steaua Bucarest fazem o outro duelo da chave.

O duelo entre Olympique de Marselha e Arsenal, pelo Grupo F, terá como atração a presença do alemão Mesut Özil. O meia alemão, recém-contratado junto ao Real Madrid, teve ótima atuação na vitória por 3 a 1 sobre o Sunderland no último sábado pela Premier League. O outro confronto da chave reunirá Napoli e Borussia Dortmund.

 

Fonte: Revista Placar, Jornal dos Esportes, Jornal do Brasil, Jornal o globo, Tribuna de Minas e Arquivo Pessoal Márcio Guerra