Sport: ano salvo pelas divisões inferiores

Uma medida simples, entre as várias que precisam ser tomadas no futebol especialmente nas divisões inferiores, motivou os garotos do Sport, permitiu um bom trabalho dos treinadores e levou para a avenida todos os títulos disputados em 1982. E foram os três times, infantis, juvenis e juniores que salvaram o futebol alviverde, dando as maiores alegrias a seus torcedores.

   Com um diretor incansável e dono de um trabalho maravilhoso nas divisões de base, Saulo Oliveira formou uma boa comissão técnica e três grandes times. José Lourenço, técnico dos infantis, foi o primeiro a conquistar. Todos os sábados ele reunia centenas de garotos, fazendo um trabalho de seleção.  Veio o Torneio José Miranda, e, invicto, o time conseguiu o título.

  O trabalho nos juvenis foi feito por Sidnei Vieira, até parte do ano, sendo substituído por David Chaves, que, inteligentemente, manteve o padrão já formado e levou a equipe ao título. Dercinho, Tatu, Jaílton, Devandro, Sérgio e outros grandes valores foram destaques no time. Tanto que, antes mesmo do Sport conquistar o título, já havia fechado negócio com o Vasco, que levou Tatu e Marquinho, pagando Cr$ 1 milhão 500 mil, um dinheiro que foi bem recebido.

  O título mais difícil foi o de juniores. Mais disputado e com vários valores, tanto no Sport como Tupi e no ABCR, o trabalho de Ratinho teve caráter especial. Adepto do futebol de habilidade, mas disputado com raça e amor à camisa, o treinador de juniores do Sport conseguiu dar espírito diferente ao time, que, em seu último jogo, contra o ABCR, em Benfica, levou muita gente periquita para incentivar o time. Aí, além do retorno do apoio através do título, ficou a esperança de que craques como Barra, Galdino, Lau, Roberto, Guto e outros se transformem nos titulares dos profissionais em 1983.

30-12-82