Tatuador diz que achou esquisito pedido de Macarrão, amigo de Bruno

Tatuagem foi feita em homenagem ao amigo Bruno, ex-goleiro do Flamengo.
Bruno e Macarrão estão presos acusados da morte da ex-amante do atleta.

Aluizio Freire – Do G1 RJ

Com 20 anos de profissão, o tatuador Afonso Camerotte, conhecido como Viking, de 45 anos, dono do Viking Tattoo Studio, instalado no Recreio dos Bandeirantes, na Zona oeste do Rio, estranhou quando numa tarde do dia 4 de junho Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, amigo do goleiro Bruno, chegou com um papel na mão encomendando uma tatuagem em suas costas.

Bruno e Macarrão estão presos em Minas Gerais acusados pelo sequestro e morte de Eliza Samúdio, ex-amante do goleiro, que tentava provar que tinha um filho do jogador.

“Achei esquisito. Já fiz homenagens de neto para avó, marido apaixonado, mas esse tipo de coisa nunca vi. Até fiz uma coisa pequena, de homenagem entre duas amigas, mas é muito raro. Tentei entender como uma forma de gratidão do Maka pela ajuda que recebeu do Bruno, que chegou a lhe dar um cargo de confiança”, revelou Viking, nesta quarta-feira (21).

A frase polêmica era: ‘Bruno e Maka — a amizade, nem mesmo a força do tempo irá destruir; amor verdadeiro’. Para fazer a inscrição no corpo de Macarrão, o artista fez um trabalho minucioso durante cerca de três horas e custou R$ 600.

Camarotte era o tatuador oficial da dupla Bruno e Maka. Segundo ele, que acompanha o noticiário sobre o envolvimento do ex-goleiro do Flamengo no desaparecimento e morte de Eliza Samudio, tudo é muito estranho.

“Lamento muito tudo isso. Jamais pensei que ele poderia se envolver numa coisa dessas. Sempre foi muito educado, simpático, humilde, e me ajudou, ajudando a divulgar meu trabalho. Quando chegou aqui pela primeira vez, não o reconheci. Depois é que me falaram. Fiquei todo orgulhoso”, conta.

Viking começou a fazer uma tatuagem nas costas de Bruno há três anos, mas, devido às constantes viagens do atleta, teve que interromper várias vezes. “Eram desenhos positivos. Aquele dragão nas costas dele foi eu que fiz. Faltava completar com uma carpa, para fazer uma composição no estilo oriental. Mas não deu para terminar”, afirma. A tatuagem de Bruno custou R$ 5 mil.

No dia em que atendeu o braço-direiro do goleiro, Viking disse que Maka ainda pediu para agendar uma visita de Bruno, no domingo seguinte, para continuar mais uma etapa da tatuagem. “Mas, ele não veio. Acho que foi por causa do resultado ruim do jogo Flamengo naquele dia. Não ligou mais”.