Texto de maio de 1995 – Jornal do Bahamas

Mário Helênio, o Bacharel também em esportes, comemora 58 anos de carreira.

… apaixonado por esporte e jornalismo, Mário já apresentava em seus tempos de estudante na Academia de Comércio, a vocação para se tornar um repórter detalhistas e bem informado. Apresentava-se como voluntário aos professores de educação física da Academia e anotava tudo, desde os treinos aos resultados dos jogos internos, ganhando o apelido de “Secretário”. A baixa estatura não o impediu de brilhar no basquete, esporte em que se sagrou bicampeão mineiro de lance livre, em 1949/1950. No jornalismo brilhou na época de ouro do rádio e não se limitou ao esporte nas redações dos principais jornais da cidade. Até a reportagem policial fez parte do repertório do (Doutor) Mário, que embora seja advogado, nunca exerceu a profissão.

… O constante acompanhamento de atletas e equipes locais acaba se misturando com o incentivo. Não há prazer maior para o jornalista que noticiar, por exemplo, que o juizforano Giovane Gávio, garoto que acompanhou desde as divisões de base do Clube Bom Pastor, conquistou a medalha de ouro para o Brasil com a Seleção de Vôlei nas Olimpíadas de Barcelona, para depois ser considerado o melhor jogador de vôlei do mundo.