São Paulo: Cabeça Baixa

por Marco Aurélio Cunha, médico supervisor de futebol

 O São Paulo foi jogar contra o Sport, em Recife e acabou sendo derrotado. Naquele tempo, não havia vôos de retorno a tempo no domingo. Sem ter outro jeito, o time derrotado acabava por ficar amargando a derrotada. Irritado com a situação, o então técnico Cilinho resolveu ir ao bar do restaurante do hotel para esfriar a cabeça. Cilinho insistia em chamar o garçom, que distraído, negava-lhe atenção. Tentou, em vão, acenar e nada. Mais irritado ainda, virou-se para mim e disse:
 – Tem duas coisas que não suporto na vida: centroavante e garçom de cabeça baixa.